jusbrasil.com.br
19 de Setembro de 2019

A Libra vem aí, será o fim dos bancos?

Rafael Rocha, Advogado
Publicado por Rafael Rocha
há 3 meses

Há alguns anos, querendo melhorar minha caligrafia, resolvi fazer um curso por correspondência, do antigo instituto Padre Réus.

Conheci esse instituto, na própria agência dos correios em Anicuns-GO, minha cidade natal. Ao me dirigir àquela agência para pagar contas, ou enviar alguma correspondência, via lá seus panfletos.

Eles ofereciam diversos cursos, desenho, caligrafia, detetive, eletrônica entre tantos outros.

Era assim; você pegava o folder, nele havia a conta para depósito, então, se encaminhava ao banco, fazia o depósito, pegava o comprovante, enviava pelo correio, já com o selo deles, e aguardava receber os primeiros materiais.

Imagine o tempo que isso demorava! Mas, éramos pacientes, e isso não importava, a vida era mais lenta mesmo.

Era mais lento ainda…

você fazia os exercícios, enviava novamente pelo correio, eles faziam a correção e mandavam mais módulos, é impossível imaginar isso hoje em dia.

Mas… o mundo mudou! E vai mudar muito mais. E vou falar sobre essa mudança que virá pela Libra.

Ahhh! Em tempo, quer saber se minha caligrafia melhorou? A resposta é não.

Não foi culpa do curso, mas que naquele tempo, tudo já estava mudando, já fui logo fazer datilografia, depois vieram os computadores, hoje só escrevo a mão, as vezes para fazer minha assinatura, quando não uso o token (assinatura digital).

Veja! Não importa pra ninguém se sua caligrafia é bonita. Já foi a época.

E os bancos? Parece que foram feridos de morte.

O Facebook anunciou a criação da Libra, sua criptomoeda.

Uma criptomoeda é um meio de troca descentralizado que se utiliza da tecnologia de blockchain e da criptografia para assegurar a validade das transações e a criação de novas unidades da moeda.

A criptomoeda mais conhecida é o Bitcoin, por enquanto.

Esse sistema de criptomoedas que o Facebook está criando tem o apoio da Mastercard, Visa, PayPal, Stripe, PayU, Booking, eBay, Farfetch, MercadoPago, Uber, Lyft, Spotify, Iliad e Vodafone, pode ser a nova moeda mundial, ao lado do ouro.

Com esse sistema, você poderá transferir dinheiro de forma rápida e barata sem ter que passar por bancos, que faturam só nesse serviço mais de 670 Bilhões de reais.

O Facebook pode se tornar o banco mundial, e ser líder em débito e crédito, atirando com bala de prata no coração dos bancos.

O Facebook poderá se tornar a maior Finteck de concessão de crédito do mundo, disponível a um clique.

Veja bem, o Facebook reuniu em seu apoio, as maiores bandeiras de cartões! A coisa é séria. Seríssima!

Não restará serviços para serem oferecidos pelos bancos, que no geral, tem péssimo atendimento e demora. Veja bem, ninguém espera mais o curso por correspondência.

Quer um empréstimo? Acesse o Facebook! Transferência? Facebook! Crédito ou débito? Facebook! Rápido e prático.

E mais… o Facebook, começa com uma capilaridade de 2.4 Bilhões de clientes. Será que é fraco?

Bem, mas você está dizendo; não sou dono de banco, nem trabalho pra eles, quero mais é que se lasquem!

Ok! Isso terá grandes implicações. A dinâmica do mercado irá mudar.

Vejamos algumas implicações.

1. Investimentos

Alguns bancos estão listados na bolsa de valores, BANCO INTER, BTGP BANCO, BANCO PAN, ITAUUNIBANCO ,ITAUSA, e o que vai acontecer com suas ações! Pode ser que derretam.

E o Bitcoin? Pode ser que derreta também! Tem investimentos lá? Cuidado!

2. Novas oportunidades de negócios

Com o fim dos grandes bancos, sobrarão oportunidades para novos pequenos negócios de crédito, assim como a formatação jurídica que a MP da liberdade financeira criou ESC (empresa simples de crédito), novos negócios financeiros irão surgir.

Abre o olho…

3. Novas Formas de Receber e pagar

A libra, provavelmente acabará com a tal maquininha de cartão. Primeiro pelas taxas, segundo pela mecânica do negócio.

Não duvide que as coisas mudem! Lembra das locadoras de filmes, sabe o que é Netflix e qual a relação entre elas? Pois é…

A libra será lançada em 2020! Logo ali…

Você, sua empresa e seus investimentos estão preparados para a disrupção? É bom ficar atento.

Para mais artigos como esse acesse aqui.

A letra pode não ser bonita, mas a “letra” que te passei aqui, pode te ajudar muito.

Até.

Dr. Rafael Rocha

105 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Há muito a se comentar aqui. Primeiro, eu não gostaria de viver num mundo em que o Facebook fosse o banco mundial. Seria um inferno. Prefiro três horas numa fila de banco que confiar meu suado dinheirinho a um ente parasita e espião. Feitas as considerações iniciais, ao ponto.

O dinheiro tem o valor que as pessoas atribuem. Subjetivamente, depende da utilidade e escassez. As criptomoedas são escassas o suficiente - pois sua produção é limitada, demandando tempo e energia. Já existem por um certo tempo e guardam uma inovação muito importante: o Blockchain, um encadeamento de dados virtualmente impossível de se falsear. Nesse cerne, os cartórios estão com seus dias contados; para quê fé pública, se podemos ter o Blockchain?

É ingenuidade - ou mera aposta - "investir" em bitcoin ou similares. Enquanto o suprimento monetário não se estabiliza, a criptomoeda deixa de ser um meio de troca, e se torna um ativo especulatório. A Libra do Facebook terá de seguir um caminho parecido (até pelo fato que minerar uma blockchain vai exigir energia e servidores - que precisa ser renumerado). Se não seguir, fica o alerta - não seria uma criptomoeda, mas só uma moeda. Até lá, as pessoas não tão ingênuas - as que primam por privacidade, e não gostam de depender de organizações execráveis que vão vender as almas e contas de seus clientes pela melhor oferta - terão encontrado criptomoedas melhores para utilizar. continuar lendo

Será uma inovação fantástica livrar-se dos bancos, uma entidade milenar que suga o sangue de qualquer tipo com ou sem RH.
Eu só fico reticente como bom goiano que também sou com um carinha chamado GOVERNO que achará um meio de remover todas as suas vestes, mesmo as menores, esteja você atento ou dormindo. E os bancos serão os promotores de justiça na sua condenação por associação criminosa.
A LIBRA possui viés de um regime anárquico, utópico quanto improvável. Ou vou rir de mim mesmo com algumas líbras na conta...ou melhor, no Face. continuar lendo

Alguém de juízo. continuar lendo

O Bitcoin ou a Libra podem até formar um novo meio de pagamento na economia mundial. Agora, acabar com o sistema financeiro no qual os bancos exercem sua dominância há séculos e mudam a economia dos países, onde e quando querem, é outra coisa bem mais complexa e de difícil desarticulação. O valor da moeda de cada país depende do desempenho das respectivas economias, da abertura/fechamento do crédito (empréstimos), via taxas de juros, cujo controle está a cargo dos bancos centrais de cada economia. Por outro lado, a solidez das instituições nacionais é um dos principais fatores ligados aos investimentos, sejam internos ou externos. Portanto, as moedas virtuais podem até se tornar um meio de pagamento semelhante ao US$, mas não terão o condão de extinguir as moedas atuais e os controles monetários e do crédito de cada país. continuar lendo

Não há verdades imutáveis. O que temos no devir é um grande rascunho. Essas moedas virtuais ainda são gelatinosas, tendo pela frente testes infinitos, com os bancos nas sua cola, desmoralizando-a a cada passo. Ainda termos muito tempo antes da estabilização, se houver, da libra e quejandas.. continuar lendo

É o apocalipse se cumprindo, única moeda global já se manifestando, só falta o líder mundial. continuar lendo

Isto sim é preocupante. Mas , o que fazer? Seria a falada “nova ordem “? continuar lendo

Senhor Maurillio Santos, eu, já com meus 77, talvez não consiga alcançar tal situação (líder mundial), que mais parece UTOPIA, mas que já se cogita a algum tempo. Não sei sua idade, mas boa sorte para o senhor... continuar lendo

Parabéns pela visão de médio prazo do que poderá vir a acontecer com o sistema financeiro... continuar lendo